Monatran - Movimento Nacional de Educação no Trânsito

RSS

Enquete

Você aprova a implantação imediata do Transporte Marítimo na Grande Florianópolis?

Artigos

Vai viajar? “Vá e Volte”

dezembro/2018 - Dirceu Rodrigues Alves Júnior

Os riscos na direção veicular são constituídos pelos “atos inseguros” e “condições inseguras “sendo que 93% dos acidentes acontecem causados por quem está atrás do volante.

Risco é tudo aquilo capaz de tirar a atenção, concentração, reduzir os reflexos, como também o não uso dos equipamentos de proteção, a deficiência na manutenção de equipamentos e máquinas, tudo concorrendo para produzir acidente ou doença.
De férias, com saúde, fazendo a viagem dos sonhos, ter isso interrompido por acidente e virar mais um corpo estendido no asfalto ou removido para um hospital de onde pode sair numa cadeira de rodas, é sofrido. Ninguém merece.

Ato Inseguro - é todo aquele ato produzido pelo indivíduo que pode levá-lo a um acidente ou doença. Citamos exemplos:
• Esticar-se para mexer no porta-luvas com veículo em movimento;
• Tirar as mãos do volante;
• Acender cigarro (Fumar);
• Usar celular;
• Colocar cinto de segurança com o veículo em movimento;
• Uso inadequado da buzina, faróis e pisca alerta;
• Direção ofensiva (xingar , gestos obscenos, brigar)

Condição Insegura – é tudo que se encontra no ambiente de operação que poderia levar ao acidente ou doença, são eles:
• Manutenção precária da máquina, suspensão, amortecedores;
• Lanternas e faróis não funcionando;
• Pneus em mau estado, alinhamento, balanceamento e calibragem irregular;
• Não manter a distância entre veículos;
• Deixar de sinalizar quando houver enguiço;
• Deixar de sinalizar quando houver mudança de rumo ou de pista;
• Falta de apoio para a cabeça;
• Ruas esburacadas;
• Falta de sinalização nas vias.

Agora que conhecemos alguns atos e condições inseguras, vamos comentar um por um, começando pelos:

Atos inseguros:

• Esticar-se para mexer no porta-luvas.
• Tirar as mãos do volante.
• Acender cigarros e fumar.
• Uso do Celular
• Colocar o cinto de Segurança com o Veículo em Movimento.
• Dar a ré sem voltar-se para trás.
• Não uso do cinto de segurança.
• Colocar braço para fora da janela.
• Uso inadequado da buzina, faróis e pisca alerta.

Condições inseguras

• Manutenção precária da Máquina, suspensão, amortecedores, freios, etc.
• Lanterna e faróis não funcionam.
• Pneus em mau estado, alinhamento, balanceamento e calibragem irregular.
• Não manter a distância entre veículos
• Não sinalizar para a mudança de rumo ou pista.
• Deixar de sinalizar quando houver enguiço.
• Falta do apoio para a cabeça.
• Ruas esburacadas e sem sinalização.
• Falta de manutenção do ar refrigerado.

Em caso de acidente.

Se tiver condição de locomoção deixe o veículo, sinalize vinte metros para trás e para frente se a via é de mão dupla e coloque-se fora da área do acidente, local seguro. Veja se existe vítima, tente tranquilizá-la colocá-la em posição de conforto sem mobilizá-la. Entrar em contato com o resgate da rodovia.
Em caso de enguiço, o veículo deve ser posicionado no acostamento, com triângulo ou galhos de árvores sinalizar 20 metros para trás e para frente. Passageiros devem deixar o veículo e buscar local seguro.

Combater ato inseguro e condição insegura constitui atitude essencial na área de segurança veicular e consequentemente na redução dos acidentes de trânsito.

“Vá e Volte”...

dirceuraj.jpg

Dirceu Rodrigues Alves Júnior
Diretor de Comunicação e do Departamento de Medicina de Tráfego Ocupacional da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) e membro efetivo do Conselho Deliberativo do Monatran - Movimento Nacional de Educação no Trânsito.

Leia on-line ou cadastre-se para receber o jornal em sua casa.

Fale Conosco: (48) 3223-4920 | (48) 99981-1015 ou pelo e-mail contato@monatran.org.br.