Olá, seja bem-vindo ao MONATRAN - Movimento Nacional de Educação no Trânsito
Tel.: 48999811015
você está em:NotíciasONU define Segunda Década de Ação pela Segurança no Trânsito
Imagem Contato
24 de Setembro, de 2020
Notícias
|
By ELLEN BRUEHMUELLER
ONU define Segunda Década de Ação pela Segurança no Trânsito

A poucos meses de finalizarmos o ano em que deveríamos estar comemorando a redução de mortes e lesões no trânsito em pelo menos 50% no Brasil e no mundo, lamentavelmente, vivemos uma realidade bem aquém do esperado, quando do lançamento da Década de Ação pela Segurança no Trânsito, idealizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2009.

Segundo dados oficiais, a cada 12 minutos, em média, morre uma vítima de acidente de trânsito no país. Mas os números reais tendem a ser bem mais trágicos do que estes, visto que, muitas vezes, falecimentos após internação acabam não sendo computados nesta estatística. Isso sem falar nas centenas de milhares de sequelados permanentemente, a cada ano.

Vergonhosamente, a verdade é que o Brasil pouco fez para alcançar a referida meta e, pior... de acordo com estudo divulgado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM), no ano passado, entre 2009 e 2018 houve um crescimento de 33% na quantidade de internações por acidente de transporte em todo o país, causando um enorme impacto na saúde pública, que estima-se ter chegado a quase R$ 3 bilhões em custos para o Sistema Único de Saúde (SUS).

Todavia, como não há como mudar o que passou, preferimos nos agarrar à esperança de um futuro melhor. E, assim, compartilhamos a proclamação de uma nova  Década de Ação pela Segurança no Trânsito. Uma segunda chance para o Brasil e tantos outros países que ainda não conseguiram realizar seus deveres de casa.

Conforme documento elaborado em Assembleia Geral da ONU, os anos de 2021 a 2030 foram declarados como uma segunda década para reduzir em 50% as mortes e lesões no trânsito no mundo inteiro.

Esperamos que as lições aprendidas com a primeira Década, inclusive pela omissão de nossos desgovernos, sirvam para evidenciar a necessidade de continuar promovendo uma abordagem integrada para a segurança no trânsito.

“A grande maioria das mortes e ferimentos graves no trânsito são evitáveis ​​e, apesar de algumas melhorias em muitos países, incluindo em países em desenvolvimento, eles permanecem um grande problema de saúde pública e desenvolvimento que tem amplas consequências sociais e econômicas”, afirma o documento.

A regulamentação de leis que garantam veículos mais seguros precisam continuar. Mas, acima de tudo, é necessário reforçar a importância de promover o conhecimento e a conscientização da população por meio de campanhas de educação, capacitação e divulgação, principalmente entre os jovens.

Com o assunto em voga, a ONU, em conjunto com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), elaborou ainda 12 Metas Globais de Desempenho para a Segurança no Trânsito, que foram feitas a partir de um consenso entre os Estados-Membros.

Entre elas, estão: reduzir à metade a proporção de veículos trafegando acima do limite de velocidade e reduzir as lesões e mortes relacionadas à velocidade; aumentar a proporção de motociclistas que utilizam corretamente capacetes padronizados para cerca de 100%; aumentar a proporção de ocupantes de veículos utilizando cintos de segurança ou sistemas padrão de retenção para crianças para cerca de 100%; reduzir pela metade o número de lesões e mortes no trânsito relacionados a condutores que consomem álcool e/ou reduzir os casos relacionados a outras substâncias psicoativas; todos os países devem ter leis nacionais para restringir ou proibir o uso de telefones celulares ao dirigir; entre outras.  Metas audaciosas, mas sobretudo, plenamente possíveis de serem cumpridas.

Sendo assim, fazemos coro à declaração da ONU e continuaremos nossa luta em prol de um trânsito mais humano e seguro, cobrando ações do governo e órgãos competentes, além de mantermos nosso compromisso de auxiliar na conscientização da sociedade, pois só assim podemos sonhar com um futuro melhor!